Piratas do asfalto aproveitam trânsito nas cidades e fazem vítimas

  • 12 de dezembro de 2018
  • webmaster

Eles aproveitam veículos parados ou a baixas velocidades, fazem a abordagem e levam objetos de valor

Vias de grande movimento próximas a ruas estreitas, com pouco movimento, de mão única e onde o motorista se vê obrigado a reduzir consideravelmente a velocidade. É provável que você reconheça essas características em diferentes cidades do Brasil, especialmente nos grandes centros. É aí que os chamados piratas do asfalto se aproveitam, executam seus roubos e causam pânico aos motoristas desprevenidos.

Câmeras de segurança em diferentes pontos e bairros de São Paulo já flagraram situações semelhantes: carros diminuem a velocidade ao entrar em ruas menores e, então, ladrões armados vão à frente do veículo e obrigam motoristas e passageiros a entregarem seus pertences. Em alguns casos, os próprios automóveis são levados.

Em outras modalidades, também, os piratas do asfalto se aproveitam do trânsito parado e fazem arrastões. Criminosos em verdadeiros bandos abordam diferentes carros e levam objetos em ações que duram poucos segundos de medo, sob a mira de armas.

Oportunistas, os bandidos também saqueiam os veículos de pessoas que demoram a sair quando entram no carro, aqueles que conversam automóvel ou mesmo aquelas que esperam paradas por muito tempo em frente a residências ou prédios comerciais.

Todos os dias, os piratas do assalto fazem novas vítimas em todo o país. Para que você entenda melhor como agem e saiba como se proteger, o Violência Social traz alguns pontos importantes:

> Como agir caso seja abordado pelos criminosos;

> Reação x legítima defesa;

> Saiba como evitar a ação dos piratas do asfalto.

 

Como agir?

É quase impossível prever a ação dos piratas do asfalto, e o elemento surpresa é justamente o fator esperado pelos criminosos para executarem a ação.

Especialista em segurança e diretor de operações do Grupo Pro Security, Manoel W Fonseca avalia que, como a abordagem costuma ser feita à mão armada, o ideal é não reagir para não correr o risco de ser baleado.

“As abordagens ocorrem sempre ao cair da noite, em ruas com baixo tráfego, em condições que dificultam a locomoção dos veículos em velocidade, próximas às comunidades e longe das áreas normalmente policiadas”.

Além de não reagir, a melhor postura é evitar trafegar em vias com essas características e com alto índice de criminalidade em horários de menor movimento.

 

Reação é legítima defesa?

Parar o carro ou acelerar e fugir? Embora a reação seja de não reagir, o motorista pego de surpresa pode ter ações impensadas e involuntárias.

Na última semana, no bairro do Ipiranga, em São Paulo, a história teve um final diferente do que costuma ter em meio às ações dos piratas do asfalto. Um motorista acelerou em meio à tentativa de abordagem de de uma dupla de ladrões e, na tentativa de impedi-lo de continuar o caminho, um dos criminosos foi atropelado e segue internado em estado grave.

A polícia tenta identificar o carro e seu motorista, mas o condutor responderia criminalmente? A atitude seria considerada legítima defesa?

Para o advogado, doutorando em Direito de Estado e especialista em segurança pública, Fernando Fabiani Capano, ocorrências como essa devem ser analisadas caso a caso.

“A legítima defesa, que exclui de responsabilidade penal, ocorre quando, nos termos do artigo 25 do Código, se repele agressão injusta, atual ou em vias de ocorrer, utilizando-se de meios moderados. Caso se comprove que o atropelamento se deu exatamente pelo anúncio do assalto, com arma de fogo, talvez seja possível configurar legítima defesa, desde que se possa entender que tudo aconteceu de maneira moderada, não se podendo exigir na oportunidade outra reação que não o atropelamento. A recomendação, na medida do possível, é que se evite tal conduta, procurando não reagir”.

 

Como evitar e se proteger da ação dos piratas do asfalto?

Os roubos dos piratas do asfalto podem representar um ciclo: as ações acontecem, não são registradas ou denunciadas pelas vítimas, a região não recebe maior atenção das autoridades e, portanto, eles podem continuar agindo.

Para o especialista em segurança Manoel W Fonseca, é fundamental que motoristas e passageiros vítimas desses casos registrem boletins de ocorrência.

“A polícia aumenta ou reduz sua atuação em uma determinada área com base na estatística da ocorrência de crimes. A prevenção se daria pela ronda constante nos locais de recorrência de ações dos criminosos”.

Veja algumas atitudes que você pode tomar no dia a dia que podem evitar que você seja vítima desses tipos de roubos:

  • Cuidado com ruas estreitas, escuras e de pouco movimento, principalmente
    à noite;
  • Varie rotas, horários e locais em que estaciona seu carro, sempre preferindo ruas mais movimentadas;
  • Antes de entrar e sair do veículo, preste bastante atenção à sua volta;
  • Quando estiver parado no semáforo, esteja atento aos retrovisores;
  • Mantenha uma distância segura do veículo à frente;
  • Mantenha os vidros fechados e portas trancadas, especialmente se estiver sozinho no carro.

Por Tatiana Paiva para o Portal Violência Social. Leia a reportagem original clicando aqui.